Foto: Google Imagens via Creative Commons.

Estão abertas as inscrições para o simpósio O Agronegócio na Interpretação do STJ, que será realizado no próximo dia 26, no auditório do Superior Tribunal de Justiça, das 8h30 às 13h. O evento, fruto de parceria entre o tribunal e o Instituto Justiça & Cidadania, tem como coordenadores científicos os ministros Luis Felipe Salomão, Moura Ribeiro e Paulo de Tarso Sanseverino, além do advogado Marcus Vinicius Furtado Coêlho.

A abertura contará com a presença do presidente do STJ, ministro João Otávio de Noronha; do corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins; do embaixador da China, Li Jinzhang; do presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Claudio Lamachia, e do presidente da Comissão de Direito Agrário e Urbanismo do Instituto dos Advogados Brasileiros, Frederico Price Grechi.

O seminário está dividido em três painéis, sendo o primeiro sobre “O agronegócio brasileiro no cenário mundial”, às 9h. O ministro Antonio Carlos Ferreira presidirá a atividade, que terá como palestrantes o presidente do Instituto Pensar Agropecuária, Fábio Meirelles Filho; o 1° vice-presidente da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia, Luiz Antônio Pradella; e o vice-presidente da empresa COFCO, Xu Guanhua.

Em seguida, às 10h, o ministro Raul Araújo vai mediar as discussões sobre “Arrendamento rural”, que contará com a presença do ministro Paulo de Tarso Sanseverino, da professora da Universidade de São Paulo Giselda Hironaka e do diretor executivo do Instituto Legislativo Brasileiro do Senado Federal, Helder Rebouças.

O último painel vai tratar do tema “A recuperação judicial das empresas agrícolas”, às 11h30. Os palestrantes serão o ministro Moura Ribeiro e os advogados Marcus Vinicius Furtado Coêlho e Antonio Augusto Coelho. A ministra Nancy Andrighi presidirá a mesa.

O encerramento ficará por conta do ministro Luis Felipe Salomão e do diretor jurídico da Anima Educação, João Batista Pacheco Antunes de Carvalho. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas aqui.

Fonte: Portal STJ.

×